Contador de visitas

contador grátis

terça-feira, março 28, 2006

FOTO-OYÁ

Esta é a grandiosa Oyá! Mulher valente, guerreira, destemida. Devido à seu caratér intempestuoso, ela teve vários casamentos: foi esposa de Ogum, Xangô e Odé. Mas seu grande amor sempre foi Xangô, por quem ela participou de muitas batalhas.
Seu caratér também fez com que ela sempre fosse incompreendida.
Por ser guerreira a viam somente como uma mulher "arrogante", mas não compreendiam que apenas era uma mulher.
Filha de Oxalá e Yemanjá, a ela foi dado por seu pai, o domínio sobre os raios, o que fez com que no Brasil fosse sincretizada com Santa Bárbara. Com Odé ela teve dois filhos: Os Gêmeos que no Brasil são sincretizado com São Cosme e São Damião.
A qualidade mais velha de Oyá é a chamada Oyá Gibale, ou Iansã do Balé (cemitério). Esta qualidade de Oyá governa os mortos, é a grande guardiã dos segredos da morte e dos eguns. É vista como mãe de todos os eguns. Dentro da nação Angola Indemburê, vem a ser uma das Oyás mais respeitadas por pertencer a ela o maior de todos os mistérios da vida de um iniciado. Grande mãe, jamais desampara seus filhos, sempre está atenta á tudo que os acontece. Protetora, guerreira, uma mãe dedicada, e ai daqueles que tentam atingir um de seus filhos.

Seu dia de culto é a quarta feira, junto com seu amado Xangô
Sua comida preferida é o acarajé, feito à partir do feijão fradinho, camarões, azeite de dendê, e cebola.
Sua cor é o vermelho translúcido e o marrom
Sua saudação é: EPARREY OYÁ MENSÓ ORÚM!

PS: dedico esta parte à Oyá Indemburê, sem a qual eu não estaria aqui hoje.

INDEMBURÊ, INDEMBURÊ MAVANJÚ, INDEMBURÊ MAVANJÚ, IANSÃ É MAVAJÚ!

MUKUIU MINHA MÃE

FOTO-YEMANJÁ


Esta Yabá foi a segunda esposa de Oxalá, e com ele gerou 15 Deuses. É a Deusa do rio Ogum na Àfrica. Por ter sido ela quem gerou os demais Orixás, nunca realizamos qulquer tipo de festejo sem que à ela não sejam direcionados louvores.
Sempre que nos referimos a esta grandiosa Yabá, nós o fazemos de forma muito respeitosa. Segundo muitos zeladores (as) antigos, dado à importância de Yemanjá, nossa religião é MATRIARCAL, e nada poderemos fazer sem o consentimento de nossa amada mãe. Sempre que dermos um bori, raspamos um orixá ou realizarmos qualquer outro tipo de ritual, ela estará presente, e consequentemente temos a obrigação de prestar-lhe homenagens.
No Brasil ela é associada ao mar, por ter sido atrvés dele que os Africanos aqui aportaram como escravos, e sempre que desejavam retornar à sua terra natal, imploravam à Yemanjá que os ajudasse no sonho de libertação. É muito solicitada nos assuntos envolvendo família, entre outros.Seu dia de culto é o sábado.
Aprecia muito arroz branco, canjica branca, acaçá branco, frutas, peixe assado, perfume. Sua
saudação é: Odyá, Eruya Yamim.

FOTO - ODÉ


Este orixá é responsável pela caça, não em forma destrutiva mas, como meio de alimentar as tribos. Filho de Yemanjá e Oxalá, sua forma mais antiga é de Yboalama, esposo de Oxum Apondá, com a qual gerou Logum-Edé. Quando dança, imita os movimentos de caça. Além de arco e flecha usa o Eroechim, feito com pelos de rabo de cavalo e que na África é símbolo de realeza.
Seu dia de culto é a quinta feira.
Sua cor preferida é o verde na Angola, e azul no Kêtu
Aprecia muito milho de galinha cozido e enfeitado com fatias de coco, espigas de milho verde cozidas.
Sua saudação: Okê Arô, Odé konkê maió

Lewalanguange, é um trovessi é um tatetú, Lewalanguange é um
trovessi é um mametú!

Landanguange, Lambanranguange que eu amê, minha iza curá,

Aruê Mutalambô, Lambanranguange muká Simbawé, Tauámim.