Contador de visitas

contador grátis

quinta-feira, maio 21, 2009

A FUMAÇA DOS CHARUTOS E DOS CACHIMBOS

Dentro dos Templos de Umbanda, é comum nas giras, tanto os caboclos, exus, fumarem seus charutos, já os pretos velhos usam seus cachimbos. Costumam ainda baforarem as pessoas na hora dos passes, ato de retirar das pessoas as energias negativas, com as fumaças.

Essas fumaças, ao contrário do que pensam muitas pessoas, não são somente fumaça.

Eles a utilizam como uma espécie de defumador. Elas teem o poder de purificar tanto nossa matéria como o local onde estão sendo realizados os trabalhos. Dentro dos rituais, tudo é sagrado, até mesmo as fumaças. Quando as entidades nos baforam as fumaças, ou mesmo quando ela é expelida para cima, possui um poder incomensurável.

Se pudéssemos ver através da janela que separa nosso mundo do mundo espiritual, veríamos muitos espíritos atrasados, negativos, e obssessores sendo retirados através dela.

Por que? Muito simples:

Ao expelirem a fumaça, as entidades mentalizam seus companheiros de falange, e assim chamando-os, eles se encarregam de retirarem do local, todos os espíritos contrários à realização dos trabalhos e ao seu bom andamento.

Tudo no cosmo é energia viva! E não poderia ser diferente com nossas entidades nem mesmo com tudo que utilizam em seus rituais. Se um espírito nos incensa com seu charuto ou com seu cachimbo, ele na verdade, expulsa através da fumaça todos os nossos inimigos invisíveis que teimam em permanecerem ao nosso lado, nos compelindo muitas vezes, a praticarmos atos contrários ao nosso desenvolvimento.

Hoje em dia, as pessoas já não prestam mais tanta atenção nos rituais que as entidades praticam quando incorporadas em seus médiuns. Pensam apenas nas coisas que ali querem buscar, deixam de se atentarem para os rituais mágicos que os mentores estão praticando.

Dentro desses rituais, se formos observar, os caboclos, por exemplo, praticam a PAJELANÇA, ritual muito comum entre os silvícolas ainda nos dias de hoje, costumam nos defumarem com seus charutos, colocam as brasas desses dentro da boca e expelem a fumaça pelo lado onde usam para fumar, nos rodam, nos colocam em cima de suas costas e nos carregam, usam todos os recursos que possuem para nos ajudar.

Temos que aprender a valorizar nossas entidades, como os mais antigos faziam. Tinham esses por hábito, elevarem seus pensamentos em tudo que desejavam, quando as fumaças eram expelidas, fossem dos cachimbos ou dos charutos.

Nesse momento, mentalizavam suas casas, seus problemas, sua saúde e de sua família, pediam mentalmente que fossem descarregados das energias ruins que atrapalhavam suas vidas.

Não se atreviam a desviar seus pensamentos de seus ideais, e com isso conseguiam alcançar graças maravilhosas. O que hoje em dia parece estar se acabando é a fé.

As entidades também se utilizam dessas fumaças para se comunicarem com as esferas espirituais mais elevadas, pois que, essa mesma fumaça serve como um tipo de comunicador, levando sua mensagem. Um exemplo claro disso, temos no seguinte ponto:

“Fumaça que vai subindo, vai falar com rosalém, nosso Pai Celestial, o peso que a terra tem”. Eis aí uma clara evidência do quanto é importante essas fumaças.

Valorizemos, pois, os rituais de nossas entidades e veremos quantas maravilhas podem operar em nossas vidas.

Sagrada é a Umbanda, Sagrados são todos seus rituais!

Sérgio Silveira, Tatetú N’Inkisi Lambanranguange: Odé Mutaloiá.

odemutaloia@gmail.com

odemutaloia@pop.com.br