Contador de visitas

contador grátis

quinta-feira, junho 17, 2010

“PRA PODER VENCER, TEM QUE LUTAR COM MUITA FÉ”

Esta frase faz parte de um ponto que aprendi na Tenda Espírita São Jorge, em Vila Velha E.S, na qual dei meus primeiros passos na Umbanda como médium. E reflete essa frase a mais pura realidade de nossa vida.

No mundo em que vivemos, temos uma luta constante contra as forças do mal, que tentam a cada dia, arrebanhar mais seguidores para seus escusos caminhos. Somos perseguidos de todas as formas e testados de todos os jeitos.

Toda pessoa que tem fé em Deus, nos Guias, nos Orixás, sofre terrivelmente as perseguições diárias, e temos que saber como nos defender e à nossa família. Termos fé significa termos estrutura para resistir a todos os tipos de ataques, possíveis e imagináveis, e temos que aguentar firmes, se desejamos ver nossos ideais realizados.

E quanto mais fé tivermos, quanto mais vivermos de conformidade com as leis de Deus e de nossos Orixás, mais ainda seremos perseguidos e atormentados pelos inimigos invisíveis, pois, esses não estarão jamais, contentes em nos ver firmes no propósito do amor e da caridade.

Se formos sacerdotes então, com mais força sofremos interferência desses espíritos inferiores e temos que combatê-los de todas as formas possíveis, acendendo velas, rezando, invocando a proteção Divina, clamando por nossos Orixás para que venham nos socorrer e nos afastar da negatividade.

Ser um sacerdote, ou uma sacerdotisa, é termos antes de tudo, a convicção que somos escolhidos para uma missão árdua, que é a de esquecermos-nos de nós mesmos para pensar no demais que vêm em busca de auxílio e conforto para suas almas corroídas pela dor e mágoa.

Temos que abrir mão de nossa felicidade muitas vezes, para que possamos ajudar na conquista da mesma por outrem. Em alguns momentos, somos obrigados até mesmo a deixar de lado um grande prazer como uma festa, um cinema, para socorrer a quem nos chame.

Somos convocados por nosso Orixá dia e noite para dar nosso testemunho de fé e resignação e muitas vezes isso nos causa dores profundas. Algumas ocasiões saímos com marcas terríveis em nosso espírito, dado a ingratidão, e a tantos outros fatores, mas, se mantivermos nossa fé inabalada, sairemos vencedores sim.

Nosso filhos de santo e consulentes, também não estão livres do martírio em nome da fé. Aliás, qualquer pessoa que tenha fé, independente de seu credo, sofre, carrega consigo uma bagagem de dor e lágrimas, que somente a amor poderá suplantar.

Temos nesse mundo, que estar preparados para tudo que possa nos acontecer e nada esperar em troca, pois assim o é desde o início dos tempos. Se observarmos a história, veremos que todos os que mantiveram sua fé, foram supliciados em nome da mesma e, tiveram que suportar o que um ser humano sozinho, jamais suportaria. Mas, acontece que eles estavam amparados por sua fé e seu amor.

Quantas vezes somos chamados, ao sacrifício em prol de alguém? Muitas vezes! E ai de nós se não estivermos preparados para tal.

Se não nos preparamos para nos doarmos em prol de nosso irmão seja ele quem for, não podemos esperar que nosso Orixá se doe em nosso favor. Não podemos esperar que nossos Guias de Luz, intercedam por nós junto a Oxalá.

Temos sim, que nos entregarmos com a certeza de que, fazendo o bem, colheremos o bem. E não importa se não colhermos aqui, pois a vida mais longa nos aguarda no pós túmulo, e com certeza nossa alegria será bem maior lá do que aqui nesse planeta de expiações.

Precisamos nos preparar para a morte da mesma forma que nos preparamos para ir ao encontro prazeroso de alguém que amamos, pois, na morte estamos indo de encontro a nosso Criador e de seus mensageiros.

Que forma melhor de nos prepararmos do que tendo fé em seguindo pela estrada do bem?

Deus não espera menos de nós. Sabe ele que como seus filhos, somos imperfeitos e às vezes nada merecedores de sua bênçãos. Mas, também ele sabe o que se passa em nossos corações, sabe se temos ali a verdadeira semente plantada, aquela que nos leva à colheita do amor, da fé e da misericórdia.

Nunca devemos olhar para trás, a não ser para que possamos aprender com nossos erros, e assim, seguir em frente sem errar de novo. Não devemos nos arrepender de ter dado nosso último pedaço de pão, para quem nos pagou com ingratidão, pois, na nossa colheita os frutos serão fartos e saborosos.

Devemos apenas arrepender-nos das coisas erradas que praticamos, e seguir em frente sem errar de novo, e, quando alguém nos pedir perdão, por um erro cometido contra nós, devemos perdoar imediatamente, pois da mesma forma nosso Orixá e nossos Guias, nos perdoarão.

Temos que lutar contra o mal. Lutar muito, pois como diz o ponto acima citado:

“tomar banho com as ervas da Jurema, e defuma com arruda e guiné, pra poder vencer, tem que lutar com muita fé”.

Mas uma fé viva, onde não haja dúvidas do que fazemos, não importando o sacrifício para o qual fomos chamados.



Sérgio Silveira, Tatetú N’Inkisi: Odé Mutaloiá.

odemutaloia@hotmail.com