Contador de visitas

contador grátis

sábado, abril 12, 2014

CANDOMBLÉ NÃO É UMA RELIGIÃO LIBERAL



Algumas pessoas pensam que dentro de nossa religião tudo é possível, pois, nada é proibido. Mas se enganam e muito. Pensam assim, pois não discriminamos as pessoas por sua orientação sexual, mas temos consciência de que o homossexualismo existe desde os primórdios do tempo e se assim o é, deve-se tão somente à liberdade relativa que Olorúm nos concedeu quando nos criou. Não vemos nada demais na pessoa ser homossexual, ao contrário. O que não compactuamos é com filosofias que condenam o homossexualismo, mas, dentro de seu quadro de sacerdotes e fieis, existem não só o homossexualismo, mas a pedofilia. Isso em nossa visão é contrário a tudo que Olorúm criou, pois quem as crianças são sim, intocáveis.

Porém, o fato de não condenarmos os homossexuais, não significa que somos de uma religião, onde tudo é permitido, onde nada é pecado. Existem leis sérias que regem nossa conduta e essas, são as Leis de Deus e assim sendo nada podemos fazer que vá contrariar essas leis.

Um exemplo disso é o aborto. Ao contrário do que pensam muitos, nossa lei proíbe sim o aborto. Tanto que a mulher que provoca um aborto, fica com uma dívida com Oxum e esta cobrará o debito não interessa quanto tempo passe. Afinal, se uma mulher engravidou, foi porque Olorúm designou aquele espírito para a guarda e proteção daquela mulher e se ela age de forma a interromper a gravidez, está sim, cometendo crime perante nossos Orixás e consequentemente perante Deus.

O mesmo ocorre com as drogas. Não nos é permitido em hipótese alguma, fazer uso de substancias alucinógenas, pois que, nosso corpo é morada de Olorúm e de nosso Orixá. Não temos o direito de usar drogas, pois fere a Sagrada Lei de Deus. Alguns defendem a droga, dizendo que a mesma é utilizada há milênios por povos antigos. Certo. Mas e o que ocorreu com esses silvícolas que se utilizaram das drogas como meio de entrar em contato com Deus? Veem hoje como caboclos, pretos velhos, e até mesmo como exús e assim não puderam ainda descansar no plano espiritual. E isso porque agiram contrariamente ao que determinam as Leis Divinas.

Não temos o direito de andar contra a lei, ou seja: não podemos cometer nenhum crime pois que, a cobrança será dura e longa. Vemos algumas pessoas se dizerem filhos de Santo, mas que praticam estelionato e outros, e isso é errado, porque temos a obrigação de andar dentro dos ditames das leis, pois que, as leis humanas, nada mais são que uma cópia das Leis Sagradas e essas não permitem de forma alguma que uma pessoa aja de forma a prejudicar a outra.

Alguns céticos dizem que Deus não existe. Pois se existisse, não deixaria tanta coisa ruim acontecer no mundo. Ocorre que Deus criou o homem para ser feliz, mas corrompido pela ganancia, ele se desviou dos caminhos a ele determinados e assim gerou uma série de conflitos que precisam ser resgatados. Não acreditamos em inferno, caldeirão onde um ser nos cozinha como se fossemos o Peru de sua ceia, mas cremos sim, que ao cometermos erros, teremos que pagar por eles, e pagaremos aqui mesmo na Terra. E se por ventura, deixarmos esse mundo sem concluirmos nosso acerto de contas, nosso espirito terá que vir novamente e assim por diante, montando assim, uma cadeia interminável de reencarnações e de crimes e dividas a serem pagas.

Nossos Orixás, são Ministros de Deus e assim sendo, não nos permitem em hipótese alguma, que andemos no caminho contrário as suas Leis, pois elas, são a perfeição. Aqueles que usam o nome dos Orixás e Guias para mentir e enganar, se preparem, pois a cobrança virá e com ela, muita dor e lagrimas.

Não temos o direito de fazer nada em contrário com as Leis Divinas, mas sim, temos a obrigação de andar dentro dos ditames desta. Não usamos alucinógenos para entrar em contato com a espiritualidade, pois não precisamos disso, o que precisamos mesmo, são o desenvolvimento correto de nossa mediunidade, as imantações que ligam nossa energia com a energia desses seres maravilhosos.

Se precisássemos de algum tipo de alucinógeno para entrar em contato com o espiritual, então, por que que, ao recolhermos uma pessoa para obrigação, nos mantemos afastados de álcool, sexo e tudo o mais que é mundano?

Candomblé nunca foi uma religião liberal. Se aceitamos a pessoa com seus vícios, temos a obrigação de através de obrigações para os Orixás, doutrina e muita conversa e paciência, mostrar à pessoa que aquilo é errado e que precisa ter seu corpo limpo, pois que ele é o principal Templo de seu Orixá, de seus Guias e de Olorúm, nosso Eterno Pai. Não podemos compactuar com erros, pois estaremos maculando nossa aura, nosso espírito e nossa religião. E onde um Templo é maculado, somente as forças das trevas ali permeiam. Obviamente que não construímos nossos Templos para servirem de esconderijo para as forças do mal, ao contrário, quando erguemos nossa Casa, ela é na verdade de nosso Santo e queremos que ali reine a paz, a saúde e a prosperidade.

Orixá é amor, perdão, misericórdia, prosperidade, mas cima de tudo: REPRESENTA AS LEIS DE DEUS.